domingo, 6 de março de 2016

Itapoã - A Vida Pode Estar Mais Viva ...

Tem momentos ...
em que nos sentimos 'amarrados' pelas circunstâncias, sem conseguir 'andar' pelos caminhos de nossas escolhas. Ao olharmos em diferentes direções ...
(clique nas imagens para expandir)


... nosso foco parece captar apenas os 'nós'.

Mais ou menos como a vida nos 'encarando' com uma expressão fechada (né, Wilson?) ...  e sem previsão de mudança!










      Nossa boa sorte e felicidade (segundo a sabedoria oriental) reside em entender que tempos assim não são reais, mas apenas um equívoco temporário da mente.      E que a dor nascida deste equívoco tem o poder de nos desacomodar e acordar nossas mentes à verdadeira sabedoria.

Buenas !...
Como esta tallll de sabedoria me parece meio láaaa longe e os 'nós' pertiiinho, vou aproveitando 'janelas' como a deste sábado de clima perfeito para embarcar rumo à vastidão e
liberdade em um dos mais belos lugares de Porto Alegre...  e dos menos conhecidos.

Independente do momento de cada um, convido a quem topar:
Vamos até Itapoã ???

Foto de Glauco M. Pereira



Embarcando o parceiro mais estiloso
de nosso grupo deste sábado:
Eloi S. de Lima, pelas lentes profis
de Glauco M. Pereira.


Meu palpite: Só nosso simpático timoneiro foi mais fotografado que Eloi...




Sejam todos BEM-VINDOS !!!  É o convite da simpática tripulação do BAR-CO.

Especial agradecimento ao competente timoneiro de nossa jornada.
Sereno e super amistoso, uma simpatia !!!


Olha ele aí, pelas lentes de Alexandre F.Freitas.

Quase 13 horas de jornada; mais da metade delas navegando.
Foi um show de habilidade, conduzindo o catamarã (sem quilha),
principalmente na volta, contra a correnteza, ventos fortes e
noite a dentro. Nosso grupo estava nas mãos deste homem!
Ele não deixou dúvidas sobre saber bem o que fazia.
Foto de Alexandre F.Freitas












Nosso timoneiro, pelas lentes de Marli Sassi.

Partimos do mini-cais próximo ao Museu Iberê Camargo. Dois dias antes, muita chuva e incertezas.
Mas vivemos um sábado perfeito:
ensolarado, brisa fresca, excelente parceria.






(clique nas imagens para expandir)





O Guaíba e a Lagoa dos Patos exigem de seus navegadores experiência e competência. Os ventos e as correntezas podem ser fortes. O Guaíba tem escassas com cerca de 40 metros de profundidade; e a média de apenas 4 metros não deixa espaço para amadores.

Tchaaauuu Portinho !!!

Ilha do Presídio




E aí??? Se a gente sentar na beirinha do pedrão,
cai ou não ???
Rimouuu !!!





Chegando na Ponta Grossa, sempre se
pode encontrar a galera do stand-up padle.






Mas foi a primeira vez que vi o estilo
Dog Stand-Up Padle  !!!
Show de bolaaaa !!!
Esta vai ser legal expandir ...




Alexandre F.Freitas conseguiu uma imagem
que ilustra super bem o estilo Dog Stand-Up Padle.

O descansado dog leva a melhor... não precisa remar.
Ele tem um alegre remador particular.
Este cachorrinho sabe viver, hem???




Parceiros nesta 'fotografança':
Tchê Wilson, a Rita e a Sabrina !!

E mais de 40 outros viventes chegados, como nós, em convivência, natureza, fotografia ...

...  e sabe lá mais quanta coisa boa !













Nem sempre é ruim olhar para trás. Aqui, ter voltado o olhar em direção
ao Portinho que se afastava (o que era muuuito bom!), rendeu este registro.
A gigante descansa sua cortina d'água no meio do Guaibão.





Logo depois, se faz uma verdadeira 'cacaca' de foto.
E tem a cara-de-pau de mostrar.

Aí está nosso parceiraço Wilson, versão 'Yin-Yang'...

Que dureeeeza !



Mais de 3 horas navegando suave e mansamente,
contemplando belas e solitárias enseadas, e lá está ele,
no encontro das águas do Guaíba com a Lagoa dos Patos.

Construído em 1860, há quase 60km do centro da capital,
parece uma delicada pérola incrustada nos 6 mil hectares de um parque estadual
que preserva o último reduto de biodiversidade nativa.
Um verdadeiro santuário ecológico !


No século XIX, foi palco de confrontos entre os Farropilhas e o Império. No fundo destas águas repousam alguns dos navios imperiais enviados para abafar o movimento separatista da, então, Província de São Pedro do Rio Grande do Sul.



Sabrina flagrou meus clicks do teto
do barco, pouco antes de começar a melhor
parte do dia:  saltar e se esparramar nesta imensidão!
Foi engraçado... ela custou a acreditar
que eu falava sério !



Âncora lançada, lanches garantidos, era hora de saltar do deck no teto do barco.
Natureza exuberante, águas frescas ...   Era saltar e se soltar na suave correnteza!
Uma deliciosa experiência esperada por quem vive na capital há 4 décadas.



Glauco M. Pereira registrou minha alegria ...






Ahhh!
A liberdade - meu mais precioso bem ...

Pelas lentes de Sabrina (uma das 'gulias')
e prá lá de parceira,  a prova de que meu
DNA humano tem mix com peixes
e marrecos ...  Maravilhaaa !!


As 'gulias' ...  Rita e Sabrina.
Valeeeuu!  Que parceria !!!



Aprecio prá caramba incluir imagens de parceiros de jornada.

É muito interessante ver diferentes olhares sobre um mesmo lugar ...



E o olhar de Wilson Mallmann é tudo de bom !
Enjoy yourself !!!



Um observador com sensibilidade aguçada
e grande coração.
Sair 'Por Aí Fotografando' sempre é muito melhor em companhia de boas pessoas.
Sem dúvida, taí uma delas - o alemão Wilson !!!  (aqui em casa é Alemilson, né???)


(não deixe de clicar nas imagens e expandir)


Vai fotografar assim láaaaaa ...
em Itapoã !!!


Qualquer um pode não gostar de minha cara.
Mas eu sei que se não gostar do Wilson (ou das fotos dele),
boa coisa o sujeiro não éCuidaaaadddooo !!!

Para mim, as duas imagens a seguir mostram tudo sobre o espírito deste sábado.


Quando as palavras são desnecessárias ...



Fim da tarde, revigorados por tudo que um dia perfeito proporcionou,
é tempo de voltar diante do espetáculo final:  nosso famoso pôr-do-sol - sempre único!





E ele, totalmente à vontade, pousou para todos nós!


Por Alexandre F.Freitas



O Pôr-do-Sol pousando para o Alexandre F.Freitas ! (esquerda & direita)

E de novo...  as palavras são desnecessárias.
A Karla Lima compartilhou esta foto para o blog e escreveu:
'... depois de 12 horas navegando, minha mente ainda não desapegou do balanço do barco...'


Espero que minha mente não desapegue nuuunca mais!
Que possamos empilhar centenas de horas navegando e fotografando.




Não há como viver sem passar por momentos em que, exaustos diantes de nossas 'tempestades' interiores, pensamos que nosso 'barco' vai afundar de vez.

Se insistirmos em acreditar na vida,
quem sabe ela nos 'olhe diferente'...








...  quem sabe possamos arriscar, nos soltarmos em sua correnteza e perceber que a Vida é maior que os nós, as montanhas, as águas, os céus...


...   que tudo está dentro dela!
...   que tudo É ela!


Talvez, a Vida esteja mais viva do que estejamos percebendo !...


:)





5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Prazeroso de ver meus registros incluídos numa descrição tão harmoniosa com os momentos vividos. Parabéns pelo lindo texto, pela ótima companhia e espero que possamos, em breve, viver novas aventuras. Creio que só resta deixar um grande OBRIGADO, até a próxima.

    ResponderExcluir
  3. Bem legal, adoramos a companhia !

    ResponderExcluir
  4. Belo trabalho Malu !!! realmente foi um encontro mágico...obrigada pelo registro !

    ResponderExcluir
  5. Me caiu os butiá do bolso. kkk Parabéns, Malu(quinha). Como não amar uma pessoa com esta sensibilidade?

    ResponderExcluir